Arquivo | novembro, 2005

PROTESTO CONTRA A ROUBALHEIRA!!!

23 nov
SE VOCE  PERTENCE AO ORKUT,
COLORADO
OU
SIMPLESMENTE SIMPATIZA COM O INTER
E
ESTA ULTRAJADO COM A ROUBALHEIRA DO
FUTEBOL BRASILEIRO
ENTRE PARA A COMUNIDADE
$CAMPEONATO BRASILEIRO 2005$
 
 
 
 
 
 
 
E SE QUER CONHECER A ANGELA SERIA ENTRE NO SPACE
 

http://spaces.msn.com/members/bruxas1960

Colorado e o maior…

21 nov
 TEM VINHO MAIS GOSTOSO QUE O VINHO DO PORTO?
 
TEM POVO MAIS DECIDIDO QUE O POVO BRASILEIRO?
 
TEM AMOR MAIS QUENTE QUE O AMOR LATINO?
 
TEM HOMEM MAIS CHARMOSO E SEDUTOR QUE O HOMEM PORTUGUES?

E QUANDO PENSA EM FUTEBOL, QUE VEM A CABECA?

 
INTERNACIONAL DE PORTO ALEGRE, CLARO!
 
PAIXAO DA GAUCHA AQUI,RSSSSS

Direitos Humanos…

14 nov

 

Um dia…num lugar que me recuso a imaginar que existe…um incendio numa escola…muitos feridos…muitos mortos..criancas…

Algumas meninas saem do fogo…chegam ao portao…policiais as empurram de volta…umas 30 meninas…jamais poderiam sair dali sem o veu que cobre o rosto…morreram.

 

50 Aniversário das Declaração dos
Direitos Humanos das Nações Unidas

Dedicado a todas as minhas irmãs afegãs e todas as mulheres que sofrem a mesma situação

10 de Dezembro de 1998

Tradução: Denise Arcoverde
Site: A Guerra contra as Mulheres no Afeganistão

Mulheres…

14 nov

Um olhar dentro do meu mundo
Zieba Shorish-Shamley

Eles me fizeram prisioneira em grilhões e correntes
Você sabe qual é minha culpa? você sabe qual é o meu pecado?
Esses selvagens ignorantes, que não podem ver a luz
Continuam a me bater e oprimir, para mostrar que podem fazer isso

Eles me fazem invisível, em mortalhas e não existente
Uma sombra, uma não-existência, silenciada e não vista
Sem direito à liberdade. confinada na minha prisão
Diga-me, como suportar minha raiva e furor?

Eles destruíram meu país e o venderam ao invasor
Eles massacraram meu povo, minhas irmãs e minha mãe
Eles mataram todos meus irmãos, sem um pensamento

O reinado que eles impuseram, ordena o ódio e a fúria
Chacina crianças e idosos, sem julgamento, defesa ou juri
Bane a arte e os artistas, pune os poetas e escritores
Vende drogas e rumores, nutre lutadores terroristas

Na indigência e miséria eu sigo nessa vida
Eu continuo tentando conter o conflito
Voce poderia me dar uma resposta? Sabe qual é a minha escolha?
Serei eu uma fonte do demônio? Você pode ouvir minha voz?

Essa é minha religião? É esse o caminha da cultura?
Eu merereço esse destino de ser entregue aos abutres?
A dor é tão intensa, devo acabar com minha vida?
Tomando um copo de veneno?
Apunhalando meu coração com uma faca?

Minha terrível culpa é baseade no meu gênero
casamento forçado, prostituição. minha venda pelo delinquente
Buscando um caminho para compensação,
Encontrando injustiça cruel
Pega no círculo vicioso, ganha a paz? e ganha a justiça?

Presa na teia do horror. Desespero, medo, aspereza
Perdida no munto do terror, a morte está perto e a escuridão
O mundo é acossado com a surdez, silêncio, frieza e inércia
Ninguém ouve meus lamentos, ninguëm divide meu tormento

Ouça o tufão rugir, esse é o meu gemido
Olhe a chuva do furacão, minhas lágrimas sem grades
A raiva do vulcão propaga meus gritos
A cólera do tornado, a visão dos meus sonhos

Ouça me, sinta minha dor, você precisa compartilhar meu sofrimento
Poderia ser você nas correntes, se não hoje, amanhã
Junte-se a mim na resistência, sem parada ou pausa
Nós podemos derrotar esse demônio, ser vencedoras da minha causa

Essas regras não podem me deter, eu vou desafiar e lutar
Para alcançar a alvorada da liberdade, eu busco a luz da justiça
Eu vou esmagar esses dominadores, eu vou queimar essa jaula
Eu vou derrubar esses muros, nesse maldito inferno!

¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤

50 Aniversário das Declaração dos
Direitos Humanos das Nações Unidas

Dedicado a todas as minhas irmãs afegãs e todas as mulheres que sofrem a mesma situação

10 de Dezembro de 1998

Tradução: Denise Arcoverde
Site: A Guerra contra as Mulheres no Afeganistão

 

Sozinho

4 nov

Caetano Veloso – Sozinho
by Peninha

As vezes no silêncio da noite
Eu fico imaginando nós dois
Eu fico ali sonhando acordada, juntando
O antes o agora e o depois
Por que você me deixa tão solta?
Por que você não cola em mim?
Tô me sentindo muito sozinha
Não sou nem quero ser a sua dona
É que um carinho às vezes cai bem
Eu tenho os meus segredos e planos secretos
Só abro pra você mais ninguém
Porque você me esquece e some
E se eu me interessar por alguém
E se ele de repente me ganha
Quando a gente gosta
É claro que a gente cuida
Fala que me ama
Só que é da boca pra fora
Ou você me engana
Ou não está maduro
Onde está você agora?