Arquivo | Saudade RSS feed for this section

Tributo a Vinicius de Moraes

30 ago

Vinicius de Moraes


"São demais os perigos desta vida
Pra quem tem paixão principalmente
Quando uma lua chega de repente
E se deixa no céu, como esquecida
E se ao luar que atua desvairado
Vem se unir uma música qualquer
Aí então é preciso ter cuidado 
Porque deve andar perto uma mulher…"

Soneto de fidelidade

Soneto de fidelidade


De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa lhe dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure

 

Anúncios

Temos aqui o exemplo de uma mulher desesperada!!!rssssssss…Comentem essa foto…

14 ago
 

Caleidoscópio

18 maio

Não é preciso apagar a luz

Eu fecho os olhos e tudo vem

Num caleidoscópio sem lógica

Eu quase posso ouvir a tua voz

Eu sinto a tua mão a me guiar

Pela noite a caminho de casa

Quem vai pagar as contas desse amor pagão

Te dar a mão

Me trazer a tona pra respirar

Quem vai chamar teu nome

Ou te escutar

Me pediram pra apagar a luz

Amanheceu

É hora de dormir

Esse nosso relógio sem órbita

Se tudo tem que terminar assim

Que pelo menos seja até o fim

Pra gente não ter nunca mais que terminar

Não, não

Quem vai pagar as contas desse amor pagão

Te dar a mão

Me trazer a tona pra respirar

Quem vai gritar meu nome

Ou te escutar

Paralamas do Sucesso

 

Seguindo estrelas…

17 maio

Sigo palavras

E busco estrelas

O que é que o mundo fez

Pra você ir assim

Pra não tocá-lo

Melhor nem vê-lo

Como é que você pode

Se perder de mim

Faz tanto frio

Faz tanto tempo

Que no meu mundo

Algo se perdeu

Te mando beijos

Em out doors pela avenida

Você sempre tão distraído

Passa e não vê

E não vê

Fico acordada

Noites inteiras

Os dias parecem

Não ter mais fim

E a esfinge da espera

Olhos de pedra

Sem pena de mim

Faz tanto frio

Faz tanto tempo

No meu mundo

Algo se perdeu

Te mando beijos

Por out doors pela avenida

Você sempre tão distraído

Passa e não vê

E não vê

Já não consigo

Não pensar

Em você

Paralamas do Sucesso

 

Nem um dia

8 maio

Um dia frio

Um bom lugar pra ler um livro

E o pensamento lá em voce

Eu sem você não vivo

Um dia triste

Toda fragilidade incide

E o pensamento lá em voce

E tudo me divide

Longe da felicidade e todas as suas luzes

Te desejo como o ar

Mais que tudo

És manhã na natureza das flores

Mesmo por toda riqueza dos sheiks árabes

Não te esquecerei um dia

Nem um dia

Espero  com a força do pensamento

Recriar a luz que me trará voce

E tudo nascerá mais belo

O verde faz do azul com o amarelo

O elo com todas as cores

Pra enfeitar amores gris

Djavan